Ismael Isaac

A música Reggae é muito popular na motherland Africa, já desde a década de 60 que artistas como Desmond Dekker, Jimmy Cliff, James Brown e Wilson Pickket eram as grandes estrelas neste Continente. Dentro dos milhões de Africanos que eram fãns destes artistas, estava um jovem chamado Issiaka Diakité, que cresceu em treichville, um local densamente povoado no distrito de Abidjan, Costa Do Marfim. 

Issiaka tinha 15 anos quando Bob Marley faleceu em 1981. Foi um momento de grande tristeza para ele. E como o próprio refere, "quando a música Reggae estava de facto a ser descrita como um género de música Africana, com raízes na cultura Africana, faleceu a figura primordial". Também outro filho de Treichville, um amigo chamado Seydou Koné, mais conhecido como Alpha Blondy se referiu da mesma forma á morte de Marley. Ouvindo Alpha Blondy a cantar canções reggae em dialectos como Dioula (um dos cinco que Issiaka fala), ele pensou talvez eu também possa tornar-me um artista. Com pouco mais do que fé no próprio talento, Issiaka, já com o nome artístico Ismael Isaac, tentou ele próprio apresentar-se ás radios e televisões na Costa do Marfim. As coisas começaram a correr melhor em 1986, quando fez parte de "Les Fréres Keita", um trio vocal que teve sucesso com três cassettes. Gravou o primeiro album a solo, "Rahman", para o conhecido produtor senegalês Ibrahima Sylla em 1990. Várias críticas muito favoráveis chamou a atenção da Polygram Francesa, que o colocou em estúdio com o produtor Godwin Logie para gravarem em 1993 - "Taxi Jump". A popularidade de Isaac cresceu enormemente em 1997, com a edição do album "Treich Feeling". Depois de três anos sem gravar, Ismael voltou no ano 2000, com o seu melhor projecto de sempre "Black System". Este disco reuniu alguns dos mais importantes colaboradores Georges Kouakou, que tinha ajudado vários anos antes Ismael a aparecer pela primeira vez nas rádio e televisões da Costa do Marfim, Wurie Moctar, um dos músicos de classe para o sucesso anterior do disco "Rahman", e por fim o produtor Ibrahima Sylla. Cantando em vários dialectos como Mandinka, Malenké, Bambara, Dioula, e também em Francês, Ismael escreveu todas as canções dos disco, recuperando valores como a comunidade, hospitalidade, e dignidade que mesmo nos nossos dias ainda não precisa de ser sacrificada em favor da modernidade. A sua música reflecte sem dúvida as suas convicções. Em forma de conclusão, este foi se dúvida um dos artistas que mais me surpreendeu nos últimos anos, se gosta de Alpha Blondy, eis um artista a ter em conta, Ismael Isaac.

Faixas :

1. Allah Dimina, 2. Baramogo, 3. Carte De Séjour, 4. Vendeur D' Armes, 5. Black System, 6. Samalah, 7.Teri Djougou, 8. Treich Feeling, 9. Farafina, 10. Sans Papiers, 11. Korodjo, 12. Tientgui

"Black System" foi editado em 2000 pela label Sternsmusic.